Série

Apego

A série Apego surgiu como resultado do processo de ressignificação das coisas e seus valores.

Tendo apenas a reflexão como companhia provocadora e constante, pude ver, para além do espetáculo social em que vivemos, que o que antes era necessário, hoje é apego.
 
Quantas são as coisas que carregamos ao longo da vida que, de fato, são essenciais?
 
O importante mudou de lugar, dando espaço para um processo de autorreconhecimento.
 
“O espetáculo não é um conjunto de imagens, mas uma relação social entre pessoas, mediada por imagens.”
 
Guy Debord, A sociedade do espetáculo, trad. Estela dos Santos Abreu (Rio de Janeiro: Contraponto, 1997), p. 14.
 
Momentos pandêmicos transmutaram meus desejos, viver no espetáculo não me alimenta mais.
 
“Como pensar o mundo da aparência, no qual apenas a imagem provoca desejos, e a posse ou a apropriação de cada objeto desaparece na virtualidade? Como definir um objeto que se desfaz no momento mesmo em que entra no campo do visível? É preciso, antes de tudo, discutir a estrutura do imaginário.”
 
NOVAES, Adauto. A imagem e o espetáculo. Brasil, 2005. Disponível em: https://artepensamento.ims.com.br/item/a-imagem-e-o-espetaculo/. Acesso em: 10 nov. 2021.

Detalhamento peças

1. Para dentro: Aquarela sobre papel, 19,1 x 13,7 cm - 2020
2. Muito: Aquarela sobre papel, 13,8 x 19,1 cm - 2020
3. Descalça: Aquarela sobre papel, 20,8 x 14,8 cm - 2020
4. Valiosa: Aquarela sobre gesso e papel, 24 x 15,9 cm – 2020