Conheça o processo de criação da ilustração “Dois suicídios”

Vamos falar de processo de criação? Vou contar um pouquinho de como foi criar essa ilustração, que tem como referência a obra “Dois Suicídios”, de Dostoiévski. No conto, o autor aborda o tema e nos faz refletir sobre a complexidade da decisão sobre continuar ou não a viver.


A técnica utilizada para a composição da ilustração foi a monotipia, um processo altamente artesanal, a técnica exige vários processos para se obter o resultado final, que surge a partir de uma mancha de tinta e aproxima-se do do gesto da pintura, do traço, da linha. Ao todo, são usadas duas camadas de papel, além da prensa e da tinta tipográfica. Nesta técnica, é possível obter apenas uma cópia e a imagem deve ser trabalhada sempre invertida.



Um dos principais entusiastas da monotipia foi Edgar Degas. O pintor e gravurista francês, que é conhecido por seus tons pastéis e sua ligação com o balé, foi uma das referências que tive para a composição de ilustrações criadas por meio desta técnica.


Em 2016, o Museu de Arte Moderna de Nova Iorque (MoMA) fez a exposição Edgar Degas: A Strange New Beauty, que além de apresentar 120 monotipias raras, 60 pinturas e alguns desenhos do artista, também detalhou a técnica mais usada pelo artista e seu processo de criação.


Esta ilustração fiz para o Projeto Travessias, que te convido a conhecê-lo acessando o perfil do @travessias_incontros no Instagram. Lá você pode saber um pouco mais sobre esse clube de assinatura literária incrível que, a cada mês, nos leva a imersões por novas trilhas culturais. Além de textos, a experiência é guiada também por meio de playlists, ilustrações e sugestões de vinhos.





1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo